sábado, 12 de dezembro de 2009

Carta de retorno

Querida família, amigos e colegas de trabalho,


Estou voltando... estou chegando!!!!

Nestes 2 meses foram muitas as aprendizagens. Tenho que elaborá-las por um tempo, no mundo que tenho dentro de mim, para ter a capacidade de comunicá-las, compartilhá-las. Vivi momento valiosos de contato com o povo angolano, sua cultura, visão de mundo, de sociedade, de luta, trabalho, família, relações humanas. Eles são fantásticos! Fiz alguns registros fotográficos e em filmes e espero mostrá-los em breve. Estou muito feliz com a oportunidade vivida. Não sou mais a mesma, estou transformada.
Durante a minha estadia em Angola, tive também a oportunidade de dialogar à distância com a minha realidade, com o meu país, com o povo brasileiro, com amigos, colegas e familiares que nem sempre estavam muito perto e com outros que fazem parte do meu dia a dia. Foram momentos de muito valor, momentos para escutar diferentes olhares e pontos de vista, compartilhar emoções, refletir diferentes contextos, sensibilizar-se, expressar o nosso compromisso com o outro, ser solidário, ser amigo, ser irmão. Durante este período recebi lindas mensagens, pessoas que me enviaram muitos materiais sobre a África, sobre o ser humano, sobre os mistérios da VIDA.
Hoje acordei com uma linda e provocante mensagem (Dr. Rita Levi - 100 anos, cientista, Prêmio Nobel), enviado pelo meu tio Nely, homem surpreendente, um exemplo de vida pela sua força, coragem, resiliência e acima de tudo pela sua crença na vida pelo trabalho e no trabalho, na vida na família e pela família.
 A distância me permitiu olhar com outros olhos tudo que chega até a mim, a escutar de outra maneira tudo que ouço e a sentir de outra forma as melodias, as vozes, o silêncio dos que fazem parte da minha vida e dos que vejo passar.

Obrigada à todos pelo carinho. Obrigada a Ruy pela oportunidade.


Um forte abraço amigo,
Marilia

2 comentários:

Eduardo disse...

Liloca! Estou aqui de longe comemorando e curtindo a sua volta! Imagino a farra que não será, desde a chegada no aeroporto, o reencontro da família com a sua alegria contagiante, a emoção dos "Regis Dourado" correndo solta, os almoços em sua casa,... Que vontade de estar aí!!! Ainda vou ter que segurar um pouco a saudade e a grande expectativa de reencontrá-la, escutar suas histórias e aprender com elas, sentir a vida pulsar através das mesmas, abraçá-la, celebrar a vida com a família toda reunida... Parabéns mana pelo lindo trabalho que realizou, pela maneira sensível e inteligente que nos aproximou de um mundo que parecia tão distante. Estamos todos muito orgulhosos, pois você faz a diferença nesta vida! Um grande beijo, cheio de saudade, que no momento é só o que existe! JU

Alba disse...

Querida,

A alegria do reencontro não é maior do que saber o quanto uma experiência como esta lhe transforma e nos transforma... Como uma escuta atenta, sensível de cada linha deste blog, de cada telefonema, de cada e-mail fui sendo ainda mais tocada pelo seu relato.
O quanto temos feito não é maior que o tanto que temos por fazer para tornar este mundo mais humano e menos desigual.
Viajando nesta história vivida com todos os sentidos por você veio em minha mente agora um trecho da música de Beto Guedes:

(...)
"Vamos precisar de todo mundo
Prá banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver...
(...)
Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Prá melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois...

Deixa nascer, o amor
Deixa fluir, o amor
Deixa crescer, o amor
Deixa viver, o amor"...

Só o amor a vida, ao próximo, ao que fazemos nos coloca implicado com a tarefa educativa para que possamos dar um pouco mais de perspectivas as pessoas.

Um grande beijo e seja bem-vinda à sua pátria, à sua terra, ao seu povo!

Até breve, companheira!!!