segunda-feira, 12 de julho de 2010

3 amigas naTurquia

Cada vez me convenço mais que a intensidade de cada momento vivido está diretamente conectada com a energia que temos. Depois de um dia inesquecível nos arredores de Reggio Emília, visitando montanhas e Parques e participando da inauguração do Ateliê de Água, um caleidoscópio da natureza projetado pela equipe da Reggio children, chegamos finalmente a Milão.


Já era de madrugada e Naty, a amiga argentina, nos esperava em pânico, desde o início da noite, imaginando mil coisas que poderiam ter acontecido. Tudo estava bem, mas só chegamos as 2 da manhã, com vôo previsto para as 6. É claro que não dormimos. Partimos para Estambul, felizes por estarmos juntas e com muita expectativa com tudo que estava por vir.

Incrivelmente as 3 estão lendo o mesmo livro e por mais ideias que tivéssemos sobre este curioso país, a chegada, na capital da Turquia, nos impressionou muito mais do que podíamos imaginar.

Estambul é descrita por muitos, como a encruzilhada entre a Europa e a Ásia. Muito mais do que uma descrição geográfica, a cidade é uma história viva de um tempo que remonta a mais de 1500 anos. Visivelmente, muitas marcas e características, combinam elementos orientais e europeus. São tantos os contrastes que revelam esta convivência entre dois continentes, que tudo chama muita atenção, desde as placas de sinalização, em e idiomas, até mulheres em minúsculos vestidos e muitas outras com o corpo todo coberto e véus na cabeça, algumas outras com burcas, deixando apenas os olhos descobertos.

Chegamos no Hotel as 12 e fomos avisadas que só poderíamos fazer o check-in a 1 da tarde. Com desejo de desfrutar de todos os momentos, saímos caminhando pelas ruas do entorno. Descobrimos que estamos hospedadas em Estambul antiga, a cada passo dado, uma surpresa agradável. Chegamos a costa e fomos comer algo. A primeiras imagens estão guardadas na memória e prometem muito mais.
Depois do almoço, novas caminhadas pela cidade, melhor maneira de nos conectarmos com seu povo, costumes e marcas de uma vida singular e única. Fomos enfeitiçadas por uma música que nos convidava a participar de um ritual local. Creio que tínhamos olhos de tanta curiosidade que nos convidaram a entrar.







Era uma festa de noivado com música ao vivo, danças, comidas típicas e uma gente tão linda e acolhedora. De imediato uma menina encantadora se aproximou. Devo estar atraindo as crianças pela enorme saudade que revelo de minha pequena Duda. Das trocas de olhares à troca de óculos e máquina foi uma pequena fração do tempo.

A sintonia entre a gente foi marcada por muito encanto e pela magia das diferenças. Quanta beleza e promessas de um mundo pós-moderno que nos oportuniza atravessar confins e nos permite superar preconceitos e desigualdades. Que venham muitos momentos como estes!!!


Um comentário:

Soraya disse...

Oi amiga!
Muitas saudades, mas muito feliz pela sua felicidade alegre e contagiante.
Sem dúvida vou conhecer a Turquia através dos seus olhos e palavras.
Feliz Turquia!
Abração
Soraya